sexta-feira, maio 25, 2007

Natureza, não podemos vencê-la...

Recentemente, se descobriu uma fêmea de tubarão-martelo que deu à luz a um bebê sem ter tido qualquer contato sexual com outros tubarões.

Uma das explicações seria que, ao ficarem isoladas de machos, as fêmeas poderiam desenvolver a reprodução assexuada como forma de preservar a espécie em ambientes pouco populosos.
E se falando em preservação da natureza, que há tempos vem sendo tema de propagandas, debates, manifestações, acordos políticos... O assunto está mais em alta que nunca. Porém, o enfoque dos apelos tem mudado.

Antigamente nos mostravam a natureza como um bichinho indefeso. As propagandas usavam ursinhos fofinhos e macaquinhos em extinção pedindo ajuda.
Hoje em dia as propagandas adquiriram um tom mais sério, viraram uma espécie de alerta. Percebeu-se que a natureza não é assim tão frágil e não devemos preservá-la por dó, e sim, dentre outros motivos, para o nosso próprio bem. Pois ao contrário do que se pensava, ela responde às nossas ações sim, de forma inesperada e com força incomparavelmente maior que a nossa.
Fazendo do antigo ditado, o melhor conselho aos grandes "inimigos" da natureza:
Se não se pode vencê-lo, junte-se a ele!

1 Comments:

Blogger Renata said...

Se não me engano, o peixe palhaço também tem capacidade semelhante. Mas no caso, o macho toma o papel da fêmea.
A natureza está sempre nos surpreendendo...
Estamos numa fase de transição. De fato,olhos veêm se voltando cada vez mais para a questão ambiental.
Mas ainda precisamos caminhar muito para que aqueles preocupados com a natureza, deixem de ser taxados de ecochatos.

12:35 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Blogroll Me!