sábado, fevereiro 03, 2007

Biometria: uma crítica

No post anterior comentei sobre reconhecimento facial. Agora vamos nos distanciar um pouco da tecnologia e analisar o ambiente em que estamos a inserindo. Para quê o reconhecimento facial? Onde está sendo aplicada a biometria?

Muito se diz sobre seu uso: Acesso a contas bancárias, segurança em aeroportos, acesso restritos à ambientes empresariais e web, entre outros. Novos dispositivos que buscam identificar as pessoas pelo comportamento estão entrando no mercado. Aparelhos elétricos identificam o padrão de pisadas de seu dono, e caso detecte alteração de comportamento, pode ser bloqueado. Senhas de contas bancárias já podem levar em consideração a maneira como o usuário a digita no teclado (podcast). Em meio a globalização, mistura de culturas, opiniões e expressões, estamos entrando na era do “profile”.

Podemos identificar uma característica comum a todas essas aplicações: segurança da informação (onde rola a grana). O perigo dessa nova cultura tecnológica é voltar a criar estereótipos de raças, alavancando um processo de preconceito e racismo.

Câmeras instaladas nas ruas de Nova York procuram por características árabes nas pessoas, as colocando no foco de observação. Numa atitude de guerrilha individual, uma pessoa usou o próprio meio para divulgar um protesto contra essa tecnologia, causando um amplo debate sobre as aplicações dos sistemas de biometria.



Outro debate foi levantado quando foram utilizadas câmeras de identificação de imigrantes ilegais na final do campeonato Super Bowl, na Flórida. Havia mais de 71.000 pessoas no local.



Não devemos por isso condenar essa tecnologia. Assim como inovações na Fórmula 1 salvam vidas no dia-a-dia e tornam seu carro mais seguro, a biometria também tem sua aplicação nobre. As câmeras de vigilância das ruas também ajudam a encontrar pessoas desaparecidas. A mesma tecnologia de reconhecimento facial pode migrar para aplicações de reconhecimento de ambientes, em aplicações onde seria perigosa ou impossível a presença humana. O mesmo sistema, aqui comentado, de biometria do comportamento do caminhar poderia também ser utilizado em aplicações de recuperações de pessoas em fisioterapia.

Tudo depende de um afastamento do contexto e uma visualização por todos os ângulos de outras aplicações. Para isso, é preciso vencer a barreira do preconceito contra novas culturas, áreas da ciência, idéias e tecnologias.

3 Comments:

Anonymous laura said...

Uai, cadê meu comentário?
Tudo bem, não devia valer muito..

6:26 PM  
Blogger BeInspired said...

Uai!? Como assim cade? Escreve de novo, adoro quando vc deixa seus comentários! Beijão!

8:45 PM  
Anonymous laura said...

Hahaha! Eu acho que apertei Visualizar
Dizem que na gravidez a mulher só tem acesso a metade dos neurônios.. tô começando a acreditar

1:14 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Blogroll Me!